Blog


7 razões para investir em um curso de ACLS (Advanced Cardiovascular Life Support)

03/07/2018

A CUREM é o maior Centro de Treinamento em Urgência e Emergência do país. Seus cursos de ACLS, PALS e BLS possuem o Selo Silver da AHA.

Cuidar do coração é uma tarefa importantíssima. Problemas nesse órgão, se não forem tratados com rapidez e precisão, podem levar a perda de um paciente. Por isso, toda preparação se faz necessária. O ACLS é um curso sancionado pela AHA (American Heart Association) para lecionar práticas de atendimento a problemas cardíacos em situações de emergência.
Vamos ver o que é o ACLS, como funciona o curso e 7 motivos para fazê-lo.

O curso de ACLS

O ACLS, ou o Curso de Suporte Avançado de Vida Cardiovascular, foi criado para disseminar as diretrizes da AHA sobre o tratamento de certos problemas no coração. Antes mesmo de participar, o candidato faz um pré-teste para verificar que aprendeu a parte teórica, fundamental para a compreensão do curso. O material é disponibilizado e deve ser estudado pelo profissional antes de começarem as aulas.

As aulas, então, focam nos aspectos mais práticos, como o reconhecimento e o tratamento dos problemas que podem ser enfrentados. Os instrutores acompanham o processo, tiram qualquer dúvida e orientam os alunos sobre a melhor forma de fazer os procedimentos ensinados.

Durante essas aulas, você vai aprender a reconhecer e a dar o primeiro atendimento a paradas respiratórias, PCR e eminências de parada cardíacas. Para isso, é necessário um conhecimento sobre as vias aéreas e a farmacologia envolvida, além do gerenciamento de síndromes coronárias agudas e AVC.

Já as avaliações, são provas práticas simulando diversas condições vistas durante o curso, na qual é medido não somente a capacidade profissional do aluno de lidar com os problemas, mas também a sua conduta perante os mesmos. Por fim, os “Megacodes” são testes simulando situações reais para testar a sua resposta.

Veja então os 7 motivos para investir no curso.

1 - A resposta a um problema sério: a parada cardíaca

Essa qualificação é importante devido à quantidade de mortes que envolvem esse tipo de problema. Os dados indicam que uma assistência bem feita e rápida, pode dobrar ou até mesmo triplicar a chance de sobrevivência das vítimas. E infelizmente, esses problemas não vão diminuir. Sedentarismo, obesidade e diabetes são fatores que contribuem para problemas no coração e são bem comuns no Brasil e no mundo.

A importância dessa qualificação já foi medida através de diversos estudos. Um estudo publicado no PCM (https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3271556/), a biblioteca nacional de medicina nos Estados Unidos, avaliou a diferença de resultados em um hospital, durante os períodos pré e pós-treinamento. Em um período de 18 meses foram observados 627 casos de parada cardíaca. No período pré-treinamento, 18,3% dos pacientes tratados tiverem retorno espontâneo de circulação. No período após a certificação, esse número cresceu para 28,3%. Mas esse não foi o único número com aumento expressivo. As taxas de sobrevivência após o treinamento subiram de 23,1% para 69,1%.

2 - O apoio da AHA

A American Heart Association, ou Associação Americana do Coração, é uma organização sem fins lucrativos que visa combater problemas no coração. A entidade, extremamente respeitada, publica Diretrizes para Ressuscitação Cardiopulmonar e Atendimento Cardiovascular de Emergência. Esses procedimentos são a base para protocolos de salvamento usados em todo o mundo.

Um curso com o aval da associação e com profissionais treinados para lecionar da melhor maneira possível o material sancionado, é certamente a garantia de ser uma experiência que agregará muito benefício para a carreira do profissional de saúde.

3 - Combater os problemas mais comuns

O curso de ACLS prepara os profissionais para lidar com os problemas mais comuns relacionados ao coração enfrentados na emergência. Ele dita algumas normas e procedimentos básicos, com bastante ênfase na importância de realizar o CPR de qualidade. Com esse conhecimento, o profissional pode encarar e superar situações de PCR, pós-PCR, arritmia aguda, AVC e síndromes coronárias agudas. E vários tópicos importantes, tais como:

1.    Sistematização do atendimento inicial ao paciente;

2.    Ciência da Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP);

3.    Algoritmo do atendimento ao paciente com Acidente Vascular Encefálico (AVE)

4.    Algoritmo do atendimento ao paciente com síndrome coronariana aguda (SCA)

5.    Suporte Básico de Vida (SBV) e utilização do DEA (dispositivo externo automático);

6.    Manejo inicial da via aérea

7.    Dinâmica de equipe na emergência;

8.    Reconhecimento e tratamento dos ritmos de parada cardiorrespiratória (PCR)

8.1.       Fibrilação ventricular (FV)

8.2.       Taquicardia ventricular sem pulso (TVSP)

8.3.       Atividade elétrica sem pulso (AESP)

8.4.       Assistolia

9.    Reconhecimento e tratamento das Bradiarritimias

10. Reconhecimento e tratamento das Taquiarritmias

11. Reconhecimento e manejo do retorno a circulação espontânea 

4 - E os problemas cardiovasculares mais avançados

Mas o curso não foca apenas nesses problemas. Ele também visa qualificar e preparar o profissional para um módulo mais avançado. O ACLS EP, Advanced Cardiovascular Life Support for Experienced Providers, é destinado à profissionais que lidam com situações ainda mais complicadas, como problemas cardiovasculares, respiratórios e toxicológicos mais complexos, expandindo o conteúdo para treinar os profissionais para todo o tipo de situação, seja a parada em si ou o pré e pós.

Essa parte do curso tem maior foco em profissionais mais experientes que analisam e interpretam ECGs e que lideram ou supervisionam habilidades de SBV e SAVC e que possuem certificação no ACLS. 

5 - O profissional da saúde, o trabalho em equipe e o papel do líder

Lidar com um problema tão sério e que pode salvar a vida de um paciente não é fácil. Por isso, deve sempre ser um esforço em conjunto de todos os envolvidos. Todos devem trabalhar com o máximo da atenção para cumprir a sua função de maneira eficaz, e garantir que o procedimento seja feito de maneira bem sucedida. Por isso, o curso aposta em dinâmicas de grupo e comunicação, para garantir que todos operem de maneira excelente.

O profissional certificado tem a condição de líder, e por isso, precisa ser capaz de coordenar o time de ressuscitação e ao mesmo tempo, tomar as decisões corretas.

6 - A prática e os alunos

Uma forma de garantir isso e absorver o conteúdo do curso é através da prática. Por esse motivo, o curso conta com manequins com aparência realista e aparelhos que simulam problemas, como arritmia, com bastante precisão. Além disso, são discutidos cenários baseados em situações reais para ensinar aos alunos a melhor forma de responder.

7 - Os certificados

A conclusão do curso significa, além da capacitação, um certificado da AHA. Um documento de aprovação de uma instituição de renome mundial é um exímio benefício para qualquer profissional. Esse tipo de prática está se tornando um pré-requisito para profissionais da área, e os hospitais o olham como um diferencial no currículo.

Mesmo no caso de funcionários já contratados, o curso é importante para o melhor tratamento dos pacientes, e por consequência, uma melhor imagem do hospital ou clínica.  

A CUREM possui um dos melhores ambientes do Brasil para receber esse tipo de treinamento. Além de ter uma relação direta com a AHA e instrutores bem treinados, recebemos o selo de prata em 2017, por ser a empresa que mais qualificou pessoas no Brasil. Veja aqui tudo sobre o nosso curso de ACLS.