Blog


3 informações sobre capacitação em primeiros socorros que pais de primeira viagem deveriam saber

16/03/2018

Pais de primeira viagem costumam tomar todos os cuidados possíveis na hora de se informar sobre alimentação, higiene, vestimenta e saúde dos filhos. Ainda assim, é comum que vivenciem situações em que os pequenos acabem se machucando ou colocando suas vidas em risco. Por isso, apesar de muitas vezes algumas informações causarem desconforto, prevenir é essencial.

1. É fundamental se informar sobre os cuidados em primeiros socorros voltados para bebês e crianças

Segundo a ONG Criança Segura Brasil, casos de engasgo, queimaduras, picadas de animais peçonhentos e outros acidentes domésticos com crianças são alarmantes e a principal causa de óbito infantil no País. Todos os anos, cerca de 4,5 mil crianças entre 1 e 14 anos morrem, e outras 122 mil são hospitalizadas devido a tais situações, no Brasil. Isso significa que 13 crianças vêm a óbito diariamente, muitas vezes por falta de prevenção, outras por falta de informação; por isso, estar preparado no caso de acidentes é tão importante.

                                                                                                     2. A CUREM e o Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep/MG) celebraram convênio que dá descontos na formação em primeiros socorros nas escolas.

Esse conhecimento preventivo existe e está disponível para pais e escolas, proporcionando maior orientação quanto à prevenção dos principais acidentes domésticos e escolares, bem como quanto à conduta de primeiros socorros frente a esses casos. Com o intuito de ampliar a capacitação e o treinamento em atendimentos de urgências e emergências médicas, o Centro de Treinamento CUREM e o Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep/MG) celebrarão um convênio que dará descontos a colaboradores e alunos participantes do Projeto Amigo do Peito. O mesmo projeto está disponível para famílias, pais e mães de primeira viagem.

O convênio tem como objetivo custear parcialmente a habilitação de escolas vinculadas ao Sindicato no atendimento e abordagem em primeiros socorros em circunstâncias diversas, como queimaduras, picadas de animais peçonhentos, engasgos, paradas cardio respiratórias e acidentes em geral. Dentre as práticas está o desenvolvimento de campanhas educativas de prevenção e conscientização. Com a fixação do convênio, qualquer escola particular sindicalizada poderá aderir ao projeto, bastando solicitar a sua adesão para a CUREM.

                                                                                                           3. Tando os pais quanto os filhos podem e devem se capacitar na abordagem em urgências e emergências

Famílias, mães e pais estão incluídos e podem ser atendidos tanto em grupos formados dentro das escolas como diretamente pelo Projeto Amigo do Peito, que aborda o que fazer no caso de acidentes e formas de prevenir sua ocorrência.

ADOLESCENTES NÃO FICAM DE FORA!

Seguindo os exemplos de países como a Finlândia e o Canadá, que incluem os primeiros socorros na grade curricular de seus alunos, o Projeto Amigo do Peito surge não somente para suprir a necessidade emergencial de seus participantes, mas também para aprofundar o conhecimento sobre o tema, que já foi abordado em edições passadas do Enem, por exemplo. 

Crianças e adolescentes são um atalho para mudanças e melhorias que influem na construção de um futuro promissor para qualquer país. Tendo isso em mente, o Projeto Amigo do Peito mantém metodologia e materiais especializados para permitir que seus participantes aprendam a lidar com situações emergenciais e saibam salvar vidas em qualquer ambiente ou circunstância.

O centro de treinamento da CUREM conta com a certificação da American Heart Association (AHA), sendo com-posto por um grupo de médicos com larga experiência em simulação, urgências e emergências clínicas e traumáticas. A implantação do programa na escola tem início com a formulação do treinamento, que deve atender à especificidade de faixa etária e tipos de acidentes a que o público-alvo ou as pessoas com quem os alunos tenham contato estejam propensos. Oferecendo o material e a estrutura, o projeto necessita apenas da disposição do espaço físico para a execução do curso.

Em um primeiro momento, alunos, pais, corpo docente ou corpo técnico assistem a vídeos nos quais são apresentadas as situações de urgência e emergência e os modos como eles devem proceder. Em seguida, colocam em prática o que aprenderam em manequins de tecnologia avançada que simulam o corpo humano, utilizam dispositivo prático para representar uma vítima engasgada e equipamentos médicos, como desfibriladores externos automáticos, tudo para ambientalizar um cenário clínico real.

Dividido em módulos, o curso é ministrado por profissionais e acadêmicos da área de saúde. Ao final das capacitações, a escola pode receber o selo Saver ou Premium Saver, por adotar a consultoria periódica da CUREM e manter uma educação continuada por meio de treinamentos de primeiros socorros. Já os pais recebem certificado e a segurança de que estarão mais bem preparados no caso de uma emergência infantil ou doméstica.