Blog


Tendências para o futuro da educação e a importância da formação de indivíduos cidadãos

19/04/2018

Muito se discute sobre o futuro da educação. Fala-se especialmente sobre as principais tendências e sobre como a tecnologia e os novos modelos, atentos às individualidades, podem nos ajudar a melhorar a forma como preparamos as pessoas para a vida e para o mercado de trabalho.

De maneira geral, o ensino massificado e um sistema de avaliação ineficaz, com pouca aplicabilidade prática, não formam alunos capazes de usufruir de seus direitos civis e de desempenhar seus deveres sociais e políticos. Consensualmente, mais do que capacitar o jovem para ser aprovado no Enem, a escola deve capacitar pessoas para conviver em sociedade e explorar sua individualidade e capacidade criativa.

CONHECIMENTOS FUNDAMENTAIS PARA A VIDA NAS ESCOLAS

A boa notícia é que o cenário da educação tem mudado, e até estruturas mais engessadas, como muitas vezes são as governamentais, estão procurando se adaptar às mudanças velozes da nossa era. Em setembro de 2017, a Comissão de Educação, Cultura e Esporte aprovou proposta que inclui a capacitação em primeiros socorros no programa do Ensino Fundamental e Médio das escolas brasileiras. Se não houver recurso para análise em Plenário, o Projeto de Lei 210/2015 do Senado seguirá para a Câmara. Deacordo com a proposta, o ensino teórico prático de primeiros socorros, com ênfase no treinamento em ressuscitação cardiopulmonar, deverá fazer parte do currículo da Educação Básica. É um avanço considerável, dado que, na maioria das escolas brasileiras, a preocupação com a formação de cidadãos é escassa. E a formação é, de maneira geral, menos voltada para a prática cotidiana, especialmente em tópicos como primeiros socorros, cidadania, economia doméstica e política.

HABILIDADES DO FUTURO PARA A EXISTÊNCIA DA SOCIEDADE

Entre outras tendências do futuro da educação está a aplicabilidade do conhecimento, que é posto em prática por meio de projetos para que os alunos dominem as técnicas, mas também pratiquem a liderança, o planejamento e as habilidades de trabalhar em equipe. Nesse sentido, a inserção da interdisciplinaridade no processo escolar é fundamental. Projetos que sejam capazes de criar sentidos e relacionar as disciplinas serão mais valorizados e eficazes na promoção e desenvolvimento das habilidades humanas. As escolas deverão prover mais oportunidades para os alunos adquirirem habilidades do mundo real, valorizando o coeficiente emocional, as relações, a conscientização de forma geral, capacidades que farão a diferença em seus trabalhos.

Conheça o Projeto Amigo do Peito e como ele pode contribuir, inovar e enriquecer ainda mais as escolas!